Confira nossas dicas e conteúdos sobre produtos veterinários no Blog da Intersul, uma distribuidora com atuação em todo o Rio Grande do Sul!

Você sabe o que é DAPE e como prevenir?

Pet Shop

A “dermatite alérgica à picada de ectoparasita”, ou DAPE, é a inflamação da pele ocasionada pelas picadas repetidas ou intermitentes de pulgas, carrapatos e outros parasitas externos. Ela ocorre pela sensibilidade dos cães às proteínas contidas na saliva desses ectoparasitas.

A DAPE causa uma hipersensibilidade, ocasionando muita coceira e ocorre principalmente em meses quentes, inclusive no outono. Porém, em locais onde há grande infestação de pulgas, os sinais clínicos ocorrem durante todo o ano. As lesões geralmente acometem a parte final do lombo do animal, podendo estender-se até a cauda, além das coxas e abdômen. Notam-se pequenas erupções pruriginosas (coceira), crostas, vermelhidão, perda de pelo, escoriações, entre outras, no local de acometimento. O relato mais comum de proprietários de cães e gatos é de que o animal se coça incessantemente, causando muito desconforto ao animal e angústia ao proprietário.

Porém, mesmo sendo uma doença que cause bastante coceira, é errado pensar que todo animal que se coça está apresentando DAPE. Esta é uma das prováveis causas, mas ainda existem outras diversas, como alergia alimentar por exemplo. É de suma importância que o pet seja levado ao veterinário para que haja um correto diagnóstico e tratamento adequado, além da instrução da forma mais eficaz de prevenção.

Mas como prevenir a DAPE?

Atualmente sabe-se que a melhor forma de prevenir a DAPE é minimizar ou zerar a quantidade de ectoparasitas, principalmente pulgas, que entram em contato com o animal. Ou seja, não adianta apenas repelir, é preciso evitar que hajam pulgas e carrapatos no ambiente e no pet.

É importante ter conhecimento do ciclo de vidas desses parasitas para que se entenda qual a melhor forma de prevenção. O ciclo da pulga dura em média 4 a 5 semanas e é constituído de: ovos, larvas, pupas e pulgas adultas. Vale lembrar que cada pulga adulta põe, em média, 50 ovos por dia. Todos os esses ovos eclodirão e se tornarão pulgas adultas, as quais irão alimentar-se do sangue dos cães e gatos. Nesse momento é que ocorre o desenvolvimento da alergia. Portanto, é imprescindível que utilizemos produtos capazes de cortar o ciclo de vida de pulgas e carrapatos, pois só assim evitaremos que eles entrem em contato com o animal, minimizando as picadas e a sensibilidade à proteína da saliva.

Pulgas e carrapatos tem predileção à certas partes do corpo do animal, como por exemplo na base da cauda do animal e na região lombar. Carrapatos, ainda, preferem locais como as orelhas e patas. Não são todos os antipulgas que são capazes de atingir essas partes do corpo. É preciso escolher um produto que haja de forma eficaz, duradoura e atinja 100% do corpo do animal, como por exemplo os antipulgas orais (comprimidos). O único comprimido capaz de fazer uma real quebra de ciclo de vida, com apenas uma única administração é o Bravecto®.

Sobre o Bravecto®

Bravecto®, para cães, é o produto mais indicado como parte estratégica do tratamento da DAPE, pois causa morte rápida das pulgas (em no máximo 8 horas), reduzindo a quantidade de picadas e inoculação da saliva, zerando a postura de ovos pelas pulgas adultas e diminuindo o grau de reinfestação, durante 3 meses consecutivos. Desse modo, conseguimos de forma eficaz eliminar as pulgas do animal e do ambiente, evitando novas picadas e desenvolvimento da alergia.

Um estudo recente comprovou que as pulgas picam antes de morrer mesmo com a utilização de produtos repelentes (como sprays e pipetas antipulgas). Ou seja, melhor do que evitar a picada, para controlar a DAPE de forma eficaz é preciso matar rápido as pulgas. A escolha de um produto de ponta, que atenda a todos esses requisitos, é essencial para que ocorra a regressão da alergia no seu pet.

A DAPE é uma doença alérgica, bastante comum principalmente entre os cães. O diagnóstico e tratamento são extremamente importantes para a resolução do caso. Porém, somente a prevenção é capaz de fazer com que a doença reapareça, evitando que ocorra novamente todo desconforto tanto para o animal quanto para o tutor.